Como configurar Stacking Fisico

Stacking Físico, Cabos Direct Attach, Switches suportados, implementaçao WEB UI e CLI

Como configurar Stacking Fisico

Stacking Físico, Cabos Direct Attach, Switches suportados, implementaçao WEB UI e CLI

Download as PDF

Stacking Físico

Conforme vai crescendo a nossa rede, é mais que provável que a procura de densidade de portas vá aumentando e, com ela, a necessidade de adquirir novo equipamento hardware. Os switches que adicionamos, se pertencem à mesma família dos já existentes e se queremos que efetuem idênticas ações, podemos instala-los  formando um stack com todos eles para que trabalhem como uma só unidade de maneira mais eficiente.

As vantagens são muitas, entre outras:

  • Gestão:uma IP (a do master) serve para controlar a configuração de todo o stack
  • Redundância: o stack continua a funcionar mesmo que uma unidade ou ligação falhe
  • Preço: mais económico e flexível que um chassis (similar em capacidade e fiabilidade)

O tráfego interno do stack encontra-se separado do tráfego da rede. Assim evita-se uma hipotética redução da capacidade dos switches pelo facto de estarem em stack.

As tabelas de reenvio (Forwarding Database Tables) encontram-se distribuídas por todos os switches do stack. Desta forma, cada um deles pode gerir o tráfego local (quer dizer, não há necessidade de se enviarem frames ao switch que tenha ficado como master).

Stacking DGS-1510-28

Cabos Direct Attach (DAC)

Além de uma pequena configuração, é necessário ligar entre si fisicamente os equipamentos do stack. Para tal usam-se os últimos slots SFP+/QSFP+/CXP do switch que, uma vez habilitado o stacking no equipamento, o seu uso será destinado exclusivamente a formar o stack (segundo a configuração e o modelo poderão ser 2 ou 4 portas a usar para tal fim).

Para interligar os switches podemos optar por duas soluções:

  • Transceiver + Fibra óptica
  • Cable Direct Attach

As duas modalidades oferecem o resultado esperado: ligações a alta velocidade para ligar os equipamentos. A mais usada hoje em dia, quando se trata de colocar em stack switches no interior dum mesmo rack baseia-se nos cables twinax (Direct Attach) pelo seu menor custo e facilidade de instalação.


cable direct attach
 

Famílias Compatíveis

O stacking físico é possível de implementar em toda a nossa gama de Managed Switches da D-Link assim como na família de Smart-Managed DGS-1510.  É lógico que estando implementado em switches de gama média e alta que esta tecnologia está orientada como solução em redes grandes e com necessidades de redundância.

A seguir apresentamos uma tabela com os modelos que incorporam assim como o número máximo de unidades que, em cada caso, se podem empilhar:

Tabla modelos stacking


 
Como se implementa por WEB UI?

É conveniente recordar que se deve realizar primeiro a configuração antes de interligar fisicamente os equipamentos.

Passo 1

Temos de ativar a opção de stacking que, por defeito, vem desabilitada.

Para tal, iremos ao menu:
Management >> Physical Stacking

WEB UI 1


Passo 2

Dentro deste menu podemos modificar os parâmetros ID (para assignar um número identificativo ao switch) e prioridade (valor que comparará para avaliar que equipamento será o master do stack. A escolha do primary master será a favor do switch com melhor prioridade que equivale à de menor valor numérico (por defeito este valor é 32 e pode modificar-se para um valor entre 1 e 63). Em caso de empate, a maior prioridade será determinada pela MAC de menor valor.

NOTA: Há una exceção a esta regra, nos DGS-3130, onde a melhor prioridade se baseia na de maior valor numérico (o intervalo de valores elegíveis também é diferente: entre 0 e 15).

WEB UI 2


Passo 3

Após guardar a configuração, passamos a reiniciar os switches para finalmente interliga-los com os pertinentes cabos direct attachO equipamento master identifica-se por mostrar no seu display a letra H (alternando, de forma intermitente, com o seu ID). O equipamento backup do master identifica-se por mostrar no seu display a letra h (alternando, de forma intermitente, com o seu ID). Finalmente, no resto dos switches ficará no seu display como informação fixa a ID que  corresponda a cada um.

Como se implementa por CLI?

Os passos são similares aos mencionados para a interface gráfica; a seguir descrevemos os comandos que se devem executar:

Passo 1

A opção de stacking por defeito vem desabilitada. Ativaremos com o comando:

 switch stack CLI

Passo 2

Editaremos os valores de ID e PRIORITY segundo queiramos que seja o seu papel no stack:

 CLI 2

Passo 3

Guardamos as mudanças e reiniciamos o switch.

CLI 3

 

Quer que o aconselhemos?

Se tem projetos relacionados com o conteúdo deste eBook na D-Link oferecemos diversas vias de contacto direto para que possamos ajudar e propor a melhor solução, sempre sem compromisso e com a garantia de suporte técnico desde o fabricante.

Email: [email protected]

Web (com chat de suporte pré venda)

Se é revendedor, integrador ou prestador de serviços TI pode registar-se no nosso Programa de Canal VIP+. Terá muitas vantagens e é gratuito (o processo de registo é online).

Mais informação aqui

Products Used